Papa Francisco e o teólogo Gustavo Gutierrez
Papa Francisco e o teólogo Gustavo Gutierrez

Parece que está em andamento uma nova postura da Igreja em relação a Teologia da Libertação. A fraterna acolhida no Vaticano de um dos fundadores da Teologia da Libertação, o teólogo Peruano Gustavo Gutierrez, revela algo novo. Os dois papados anteriores não nutriam grandes simpatias pelo teólogo peruano e pela citada teologia latino-americana.

A Teologia da Libertação caracteriza-se por pregar, não apenas simpatia e cuidado solidário com os mais pobres, propunha também reconhecer e defender a igual dignidade de toda pessoa humana; transformações políticas e mudanças sociais estruturais em vista da erradicação das desigualdades, injustiças e da inaceitável miséria.

Percebe-se um longo caminho sendo feito a partir da eleição do Papa Francisco, que com insistência, afirma uma Igreja “em saída”, “não auto referencial” e, sobretudo, “para os pobres”. Não falta em seus discursos a crítica ao capitalismo e ao consumismo como geradores de um sistema injusto que cada vez mais aumenta a desigualdade entre as pessoas. As estruturas econômicas e sociais com a soberania do capital e do mercado são geradoras do processo de desumanização das pessoas e entre as pessoas.

Para aprofundar essa nova realidade, o Observatório da Evangelização propõe a leitura dos seguintes artigos:

O teólogo peruano junto a um grupo de cardeais no Vaticano
O teólogo peruano junto a um grupo de cardeais no Vaticano
Anúncios