Para existir Igreja viva e atuante, é preciso que existam, em suas bases, verdadeiras comunidades de fé, organizadas em grupos de convivência fraterna, partilha de vida e defesa da dignidade da vida; equipes de animação, catequese e serviços, pastorais e conselhos; celebrações participativas e envolventes, cultivo de devoções populares, estudo constante da Palavra e da realidade onde vivemos, práticas de missões, de visitas fraternas, de cuidado com os doentes e de acolhida e resgate da dignidade cidadã dos mais pobres, dentre outras. Uma rede de comunidades organizadas forma uma paróquia. Um conjunto de paróquias, por sua vez, forma a Igreja local ou particular, a (arqui)diocese.

martires (2)

Merece destaque, quanto à originalidade das CEB’s, o jeito próprio de ser Igreja, rede de comunidades, com grande capacidade de envolver e promover a participação e a corresponsabilidade dos/as leigos/as. Estes experimentam, na dinâmica das comunidades, o chamado da fé para dedicar-se ao cultivo de uma espiritualidade cristã que alimentasse a perseverança numa caminhada eclesial. Nesta, organizava-se, através de pequenos grupos, reuniões dialogais e formativas, celebrações e reflexões em torno da Palavra e da Eucaristia. Na dinâmica procura-se fazer com que o conjunto dos membros das comunidades, como um fermento na massa, a partir de seu testemunho de vida, alimente o ideal de uma nova sociedade, justa, fraterna, solidária, inclusiva e ecológica.

A experiência da caminhada das CEB’s mostra que muitos leigos/as encontram sentido para suas vidas no serviço fraterno na comunidade de fé e na participação da construção da nova sociedade inspirada nos valores que marcaram a vida de Jesus. Muitos, inclusive, chegam a dar a própria vida por esta caminhada transformadora.

Os/as leigos/as envolvidos na dinâmica das CEB’s concretizam, animados pela fé em comunidades de uma Igreja viva e comprometida com a vida, muitas lutas em defesa da cidadania e da dignidade para todos, a começar pelos mais pobres. Eles participam de caminhadas contra a violência urbana, mortalidade de jovens negros, opressão da mulher; defendem acesso à saúde, educação, moradia, transporte e lazer para todos; promovem romarias da terra ou em defesa da reforma agrária, romarias ecológicas em defesa dos rios, das nascentes e florestas; participam do grito dos excluídos, das pastorais sociais e das instituições sociais que beneficiam os pobres; reivindicam aplicação da Constituição e melhoria da concretização das políticas públicas no campo e na cidade, nas vilas, bairros, aglomerados e favelas por todo o Brasil.

DSC00460 - Cópia_thumb[3]

Somos uma Igreja organizada em comunidades, paróquias, arqui(dioceses), províncias (microrregiões) e grandes regiões no Brasil, sendo a nossa a região Leste II da CNBB. Desse modo, em nossa Igreja local, temos comunidades eclesiais de base se envolvendo com tudo isso. Estas estão organizadas em nível paroquial e (arqui)diocesano, estadual e nacional.  Por isso, a CEB’s organizam seus encontros nos diversos níveis, com o objetivo de celebrar as experiências, animar-se mutuamente enquanto Igreja, povo de Deus a caminho.

Você sabia que foi na nossa região Leste II que começou os encontros nacionais, conhecidos como intereclesiais?  Os dois primeiros foram realizados no Espírito Santo. Hoje, caminhamos para o 14º Intereclesial que será realizado em Londrina, no Paraná. Em Minas Gerais, nós estamos caminhando para o 7º encontro estadual das CEB’s, que será realizado na Diocese de Paracatu, em Unaí. Vamos incentivar e apoiar esses encontros, porque são verdadeiras expressões de unidade da Igreja Povo de Deus, nos quais participam, de fato, pessoas comprometidas e atuantes vindas das bases das comunidades.

 

Um pouquinho de nossa história

5c424-35

1. Dois últimos encontros intereclesiais das CEB’s

  • O 12º Intereclesial das CEBs – Ecologia e Missão. Lema: Do ventre da terra, o grito que vem da Amazônia. Realizado em 2009, em Porto Velho – Rondônia.
  • O último intereclesial, que foi o 13º, aconteceu na diocese de Crato, no Ceará, com o tema: Justiça e profecia a serviço da vida. Lema: Romeiros e Romeiras no campo e na cidade.

13º-Intereclesial

2. Dois últimos encontros estaduais das CEBs

  • O 5ª Encontro Estadual das CEBS, realizado em 2007, na Diocese de Uberlândia, com o tema: “CEBs – Ecologia e Missão”. Lema: “Na construção de uma sociedade sustentável a serviço da vida”.
  • O 6º Encontro Estadual das CEBs, realizado em 2010, na diocese de Montes Claros, teve como tema: “Economia e Missão”. Lema: Construindo uma Igreja Solidária.

6º Encontro da CEB's

Pe. José Geraldo de Sousa

Assessor arquidiocesano de Belo Horizonte e Estadual das CEB’S

Ribeirão das Neves, 05 de junho de 2015.

Anúncios