As Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Belo Horizonte (2013-2016), definidas e assumidas na IV Assembleia do Povo de Deus, apresentam três dimensões estruturantes que devem ser levadas em conta na ação evangelizadora em nossa realidade: espiritualidade encarnada e de comunhão; renovação da vida comunitária e inserção social da Igreja. Com alegria, o Observatório da Evangelização apresenta uma experiência de formação de lideranças leigas que, a nosso ver, é bastante significativa, que contempla vigorosamente as dimensões acima. Trata-se da Escola Bíblica, na Paróquia São Domingos, em Contagem. Transcrevemos, abaixo, o apaixonado relato que Irmã Marysa Mourão Saboya faz dessa vivência:

cebimg.blogspot.com
cebimg.blogspot.com

Encontro mensal da Escola Bíblica do CEBI – Hoje tivemos na Paróquia São Domingos, de Nova Contagem, o encontro final de uma turma da Escola Bíblica que vem participando há dois anos. Terminamos com a entrega dos certificados e com o estudo do Livro do Apocalipse. Este foi apresentado ao grupo, a partir de uma oração inicial sobre o nosso tempo, as dificuldades que nos afligem e como, neste “mar de problemas” que às vezes enfrentamos, é necessária uma mensagem de animação e esperança. É justamente o que nos traz o Apocalipse, a revelação feita pelo presbítero João: “Esperança para um povo que luta” – título de um livrinho de Carlos Mesters sobre o tema em questão.

No primeiro ano de estudo, o programa da Escola Bíblia foi o Primeiro Testamento e no segundo, o Novo Testamento. A finalidade é oferecer uma visão global da Bíblia, para as pessoas e principalmente as lideranças (dirigentes de grupos, ministros da Palavra e da Comunhão Eucarística, catequistas, lideranças jovens…) das comunidades da Paróquia, que são treze.

Esse trabalho começou em 2006, aqui em Nova Contagem e, apesar das dificuldades, vem persistindo. A programação é cíclica: um ano o Primeiro Testamento e outro ano o Novo Testamento – sendo que os participantes podem começar todo ano, com um ou com outro Testamento. No dia de hoje, 09 pessoas concluíram os dois anos de estudo, recebendo um certificado do CEBI. Para receber tal certificado devem ter frequentado pelo menos 70% dos encontros mensais.  Os outros, que só fizeram o primeiro ano de estudos, continuarão ainda este ano. E outros, novatos, irão ingressar no próximo ano, para juntar-se à turma veterana e continuarem, juntos, a participar. Deste modo, todo ano há pessoas começando, outras continuando e algumas concluindo. Muitas não chegam a concluir todo o percurso, há quem retorne noutro ano para concluir… Mas a experiência de ter passado pela Escola Bíblica, participando desta Introdução à leitura popular da Bíblia dentro da metodologia libertadora, participativa, ecumênica e ligada à vida que é própria do CEBI, sempre deixa marcas na vida das pessoas, como elas mesmas testemunham.

No início, o Encontro durava o dia todo do domingo: das 08:00 às 17:00, com almoço e lanches no próprio local – tudo preparado por pessoas das várias comunidades. Mas percebemos que o esforço era muito e a frequência baixava. Então, depois de uns quatro anos, resolvemos fazer o Encontro durar só na parte da manhã (07:30 à 11:30) – mas durante dois anos. Parece que isso facilitou a participação de mais pessoas.

Essa Escola Bíblica começou com a formação oferecida por dois assessores do CEBI: o leigo Missionário Comboniano Alejo Quiñonez, paraguaio, e a Ir. Marysa Mourão Saboya, Salesiana de D. Bosco. Hoje, já temos dois assessores que vieram das fileiras da própria escola: Izabel Cristina e Edson Arruda – com a colaboração e supervisão de Ir. Marysa.

Esses dois novos assessores se apaixonaram pelo estudo bíblico e começaram fazendo parte de uma Equipe, coordenada pelos Padres Combonianos da Paróquia e destinada à Iniciação cristã de adultos: os Discípulos de Emaús. Nessa iniciação cristã é dada uma visão geral da Bíblia e, em seguida, uma introdução catequética com temas de Doutrina, Sacramentos, Igreja etc. O vigário da época, Pe. Arturo Bonandi, preparou dois cursos em PowerPoint, como subsídio para ser usado nos encontros dos Discípulos de Emaús. Diga-se, de passagem, que o PowerPoint da parte bíblica foi elaborado por ele a partir de uma publicação do CEBI-Nacional: o “Curso de Bíblia por Correspondência” (CBC).

Assim, Izabel Cristina e Edson foram se reforçando no conhecimento que já haviam iniciado na Escola Bíblica. Depois, com o estímulo e ajuda dos outros Padres Combonianos que foram chegando à Paróquia e do próprio CEBI, um grupo de leigos, que já havia feito a Escola Bíblica, participou sistematicamente de um Curso de Aprofundamento, no centro de BH – incluindo Izabel Cristina e Edson que já estão, há cerca de dois anos, talvez mais, assessorando: tanto na Escola Bíblica como no grupo dos Discípulos de Emaús. E ainda há outros que colaboram na assessoria e na infra-estrutura dos encontros dos Discípulos de Emaús. Talvez haja mais alguns, que só estejam esperando um “empurrãozinho” para se animarem a vir ajudar na Escola Bíblica. É o que tentaremos começar neste ano. Muitos já têm ido participar de eventos do CEBI-MG. Inclusive, no ano passado, um ônibus foi fretado pela Paróquia para levar cerca de 20 pessoas à comemoração dos 30 anos do CEBI-MG. Esse evento contou com a presença e a palavra sempre inspirada de Frei Carlos Mesters, carmelita, biblista holandês, conhecido internacionalmente como fundador do CEBI e grande iniciador da Leitura Popular da Bíblia no Brasil (e mesmo fora do Brasil)!  Um homem sábio e santo, que nos encanta com sua competência e simplicidade!

Ir. Marysa Mourão Saboya, F.M.A. (Filha de Maria Auxiliadora)

Anúncios