02

O Santuário Nossa Senhora da Piedade acolheu um grupo de 120 pessoas em situação de rua que são amparadas pela Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte. A Peregrinação da Pastoral do Povo da Rua ao Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais foi realizada no dia em que a Igreja Católica celebra o aniversário de Maria Santíssima – 8 de setembro. Os peregrinos participaram de Missa celebrada pelo arcebispo dom Walmor e concelebrada pelo reitor do Santuário, padre Fernando César do Nascimento. Em seguida, foram recebidos no restaurante – Espaço dom João Resende Costa, onde viveram momentos de partilha e integração, com direito a muita música. Foi servido um almoço especial aos peregrinos.

A Missa celebrada na Ermida da Padroeira do Estado de Minas Gerais foi transmitida pela TV Horizonte e Rede Vida, graças à doação dos que integram a Faço Parte – Campanha dos Devotos de Nossa Senhora da Piedade. Durante a celebração, dom Walmor agradeceu a presença de cada peregrino e ressaltou que o Santuário da Padroeira de Minas Gerais “é o lugar dos mais pobres”. “Aqui (o Santuário) começou pela presença dos mais pobres e isso não pode ser esquecido. É um tesouro para nós”, disse.

O Arcebispo destacou o trabalho desenvolvido pela Pastoral do Povo da Rua na Arquidiocese de Belo Horizonte. “Uma história exemplar, graças ao empenho de agentes, colaboradores, pessoas solidárias”. Em referência à liturgia do dia, dom Walmor sublinhou o que ensina o apóstolo Paulo, na primeira leitura: Deus reconhece cada pessoa como especial e, por isso, ofereceu seu filho, Cristo, para a salvação de todos. “Cristo morre e ressuscita para dizer que cada um de nós tem valor especial”. Logo após, o Arcebispo explicou que cada pessoa é chamada a compreender o que Deus ensinou: “Onde houver alguém excluído, temos que lutar para que a dignidade seja resgatada e o respeito efetivamente vivido”.

Dom Walmor disse que é motivo de alegria receber a peregrinação da Pastoral do Povo da Rua no dia em que a Igreja celebra o aniversário de Nossa Senhora. “Hoje é dia de festa”, destacou o Arcebispo. Após a celebração, dom Walmor abençoou cada peregrino que estava presente na Ermida da Padroeira. Depois, o Arcebispo participou da confraternização realizada no Espaço Dom João Resende Costa e almoçou com os peregrinos.

Para Luiz Fernando Santos, que visitou o Santuário da Padroeira de Minas Gerais pela primeira vez, a “Ermida da Padroeira é acolhedora” e participar da peregrinação “é oportunidade de estar mais perto de Deus”. Conflitos familiares o levaram a abandonar o seu lar e a viver nas ruas da cidade. Atualmente, conforme afirma Luiz Santos, a Pastoral do Povo da Rua tem o ajudado “a reorganizar a própria vida”. Após a Missa, ele contemplava a imagem de Nossa Senhora da Piedade, e se dizia impressionado com a beleza.

08

O senhor José Osvaldo Sousa também manifestou alegria por poder participar da peregrinação. Ele viveu por muitos anos nas ruas da cidade, após abandonar a casa de seus pais, quando tinha apenas quatro anos de idade. “Meu pai bebia muito. Não suportava mais as agressões”, contou. Hoje, José Sousa mora em um imóvel alugado, a partir do benefício bolsa-moradia, uma conquista alcançada com a ajuda da Pastoral do Povo da Rua. O peregrino disse que, todos os domingos, participada de Missa celebrada na Igreja São Sebastião, no Barro Preto. Sobre a visita ao Santuário da Padroeira de Minas, José Sousa manifestou alegria. “É muito bom estar aqui no Santuário”, concluiu.

Fonte:

www.arquidiocesebh.org.br

Anúncios