Como concretizar, nas ações evangelizadoras da Arquidiocese de Belo Horizonte, a opção preferencial pela juventude?

JAJ

Consciente da necessidade concretizar uma das diretrizes da ação evangelizadora definida pela IV Assembleia do Povo de Deus e que confirma a opção preferencial da Igreja pela juventude, a Arquidiocese de Belo Horizonte, por meio do Secretariado Arquidiocesano da Juventude (SAJ) e Serviço de Animação Vocacional (SAV), organizou e realizou a Jornada Arquidiocesana de Juventude. O evento contou com a presença significativa de centenas de jovens provenientes de quase todas as paroquias que compõe cada uma das quatro regiões episcopais da Arquidiocese.

11060291_374605516069976_4552141028160101487_n

O encontro teve inicio com a concentração dos participantes na Paróquia São Luiz Gonzaga no bairro Minas Brasil, na região Episcopal Nossa Senhora da Esperança, animados por cantos, apresentações por paróquias e ou regiões e muita animação e alegria por parte dos jovens ali presentes. Logo após, iniciou-se uma caminhada, pelas ruas do referido bairro, em direção à PUC Minas, onde aconteceu o segundo momento marcado por uma exposição vocacional, show de talentos, louvor e adoração. Em seguida aconteceu a celebração eucarística presidida pelo arcebispo Dom Walmor e dois de seus bispos auxiliares D. João Justino e D. Joaquim Mol. Por fim, aconteceu um show de encerramento com a cantora católica Kennia.

image

A equipe do Observatório de Evangelização esteve presente e solicitou a participação dos jovens para que respondessem um questionário. Descrevemos a seguir, o que esses jovens pensam, sentem e esperam da Igreja. Além disso, como eles percebem a sua participação eclesial:

1. Os jovens são, de fato, prioridade para a Igreja?

  • “penso que não, pois ainda existem muitos ‘líderes’ que não dão oportunidade para a juventude”.
  • “sim, é uma prioridade. A juventude tem o poder de evangelizar pela alegria”.
  • “não. Eu acho que na Igreja não há prioridade para a juventude”.
  • “não só os jovens, mas toda a comunidade que compõe a Igreja”.
  • “sim, porque os jovens não só são os mais afetados pela criminalidade hoje em dia, bem como são o futuro da Igreja”.
  • “eu não diria prioridade, mas que são fundamentais”.
  • “sim, pois eles são o futuro”.
  • “sim, pois somos os que daremos continuidade a missão da Igreja”.
  • “A Igreja quer perseverar no futuro, e não erra ao determinar a juventude como prioridade”.

2. Os jovens e a Igreja se entendem, falam a mesma língua?

  • “os jovens e a Igreja se complementam”.
  • “sim, porque um ajuda o outro”.
  • “não, pois os jovens falam a língua da atualidade”.
  • “muitas vezes, mas algumas pessoas tentam impedir o entendimento da linguagem de Cristo”.
  • “não”.
  • “sim”.
  • “sim, mas como tudo na vida, existem também alguns desentendimentos”.
  • “nem sempre. Muitas vezes os jovens se desentendem por não saberem (eu acho) se expressar em relação à Igreja”.
  • “na maioria das vezes sim, pois buscam além de abastecer com a Palavra de Deus, evangelizar outros jovens”.

3. Os jovens encontram espaço em suas comunidades?

  • “sim, mas muitas vezes não dão continuidade ao trabalho por falta de oportunidade”.
  • “em algumas comunidades encontram, embora não sejam de origem”.
  • “não sei se em todas, mas na maioria das vezes sim”.
  • “sim. A Igreja é aberta para quem a procura”.
  • “sim, pois hoje em dia os padres são mais comunicativos e explicam mais do que antigamente”.
  • “sim”.
  • “não o suficiente”.
  • “sim, com o EJC, EAC, e outros grupos de jovens”.
  • “sim”.
  • “sim, pois os jovens querem buscar cada dia mais”.
  • “encontram”.
  • “as necessidade vão ao encontro da realidade, e passam a conceder espaço, acolhida, e ensinamento a juventude”.

4. Os jovens tem vez e voz dentro da Igreja?

  • “sim, pois eles estão cheios de contribuições a oferecer, e querem mostrar isso a todos”.
  • “falta pouco. Encontramos dificuldade par falar em nossas comunidades de fé”.
  • “sim”.
  • “sim, mas com muitos questionamentos”.
  • “sim, mas às vezes são um pouco oprimidos, pois tentam colocar o seu dia a dia dentro da Igreja”.
  • “sim. A opinião dos jovens na Igreja tem muito impacto nas decisões tomadas”.
  • “sim, porque várias Igrejas têm projetos relacionados aos jovens”.
  • “quando em algumas vezes insistentemente a sua voz é ouvida, pois o jovem gosta de mudanças”.
  • “não”. Os líderes não dão abertura.

5. Os jovens estão satisfeitos com a Igreja ou desejam mudanças?

  • “desejamos que a Igreja seja mais acolhedora e dê oportunidade para a juventude”.
  • “a satisfação é algo individual que é avaliado por cada jovem. A mudança deve sempre existir para que a Igreja caminhe junto com a juventude”.
  • “eu acho que precisa de algumas mudanças”.
  • “não seriam mudanças exatamente, seriam avanços, evolução”.
  • “nós estamos satisfeitos”.
  • “sim”.
  • “pouco satisfeitos. Precisam mudanças”.
  • “desejam mudanças”.
  • “desejam mudanças, e mais oportunidades para nós jovens”.
  • “sim, estamos satisfeitos com a Igreja”.

6. Os jovens estão gostando do Papa Francisco? Por quê?

  • “com certeza, pois ele tem sido um Papa de renovação para todos, inclusive para a juventude”.
  • “o Papa da alegria, caridade, exemplo. Não só a juventude, mas muitos. É o Papa da mudança e que resgata fiéis”.
  • “sim, porque ele entende o que precisamos”.
  • “sim, pois ele interage com o povo, principalmente os jovens”.
  • “sim, porque ele entende e apoia os jovens”.
  • “sim, pois ele fala diretamente conosco”.
  • “sim, pois está clara sua intenção de mudança na Igreja”.
  • “sim, pois ele quer uma Igreja mais jovem, carismática”.
  • “sim, porque o Papa está proporcionando a entrada de nós jovens na Igreja ’abrindo o castelo’”.
  • “sim, pois ele é bem carismático e voltado para os jovens”.
  • “sim, pois ele está sendo bom para todos nós e só tem coisas boas a trazer para nós”.
  • “o amam na verdade. Há a verdadeira disponibilidade em amar e servir de odo gratuito e incondicionalmente”.

7. Os jovens conhecem e cultivam intimidade com a pessoa de Jesus?

  • “é resplandecente a alegria no rosto de cada um que por si vem do coração. Nele está Jesus”.
  • “sim”.
  • “sim”.
  • “não”.
  • “não”.
  • “sim, pois sem Jesus não somos nada”.
  • “muitos sim, outros não”.
  • “muitas vezes a verdadeira alegria de Cristo não é enraizada, onde momentos de euforia não permitem tal intimidade”.
  • “sim, conhecem, mas falta um pouco mais de incentivo para a continuidade no cultivo dessa intimidade com Cristo’”.

8. O que mais atrai e encanta os jovens na Igreja?

  • “são as animações e a forma dinâmica de evangelização através de jovens, crisma, etc..”.
  • “a alegria de viver em Cristo, onde momentos de canto, louvor atraem o jovem”.
  • “o grupo de jovens, os retiros, os passeios e a missa’”.
  • “ver a animação e a fé que tantas pessoas colocam em sua voz quando louvam ao Senhor. Pelo menos é o que me encanta”.
  • “o jeito doce, alegre de fazer o bem que Deus nos deixou para servir a ele’”.
  • “o lado artístico da Igreja’”.
  • ‘animação, visão modernizada de velhos procedimentos”.
  • “encontros com a juventude e missas mais voltadas para o lado da juventude”.
  • “alegria de saber que Jesus é jovem como nós e está em nosso meio, e para isso o incentivo ao louvor a Cristo é importante”.
  • “buscar a Cristo cada dia mais”.
  • “alegria de anunciar que Cristo assumiu nossa faltas e falhas, entregou-se à cruz e a renovação da sua promessa: “estarei convosco até o fim”.

9. Que dicas ou sugestões você tem para melhorar a presença e participação dos jovens na Igreja?

  • “compreender as nossas juventudes, ir ao encontro dos que precisam escutar para falar; mostrar o grande mistério da vida que brota da cruz”.
  • “promover mais encontros que chamam a atenção dos jovens em relação ao dia a dia”.
  • “abrir mais oportunidades para os jovens estarem mostrando seus talentos e servir melhor a Deus”.
  • “a acolhida em ministérios na missa, e proporcionar encontros para louvores. Mas o principal é a colhida de ideias e inovações. ‘a Igreja precisa sair do castelo’(Papa Francisco)”.
  • “ministérios voltados para o jovem e adolescente”. Mais espaços para o jovem’.
  • “criar mais grupos de apoio e orientação aos jovens, e pedir opiniões dos mesmos’”.
  • “melhorar a acolhida”.
  • “a Igreja ter mais atrativos para os jovens”.
  • “acredito ser uma decisão pessoal. O convite é feito, mas às vezes não é escutado”.
  • “a Igreja precisa trabalhar mais com atividades e ações voltadas para a juventude desde jogos, brincadeiras, até missões em comunidades carentes”.

10. Que dicas ou sugestões você dá ao jovem que está afastado ou que deseja ser cristão?

  • “para ser cristão, o jovem tem que persistir, e lembrar que não precisa ser careta para louvar a Deus”.
  • “pegar o jovem pela oração, pois estes momentos permitirão viver a intimidade com Cristo e esta alegria será enraizada na vida do jovem”.
  • ‘procurar uma Igreja que ele se identifique, e voltar a buscar a Deus”.
  • “reze e espere em Deus, corra atrás da sua fé, pois sem ela too não és nada”.
  • “que ele se aproxime, pois a vida com Cristo é mais feliz do que sem Cristo. A felicidade é o que faz ser melhor”.
  • “você é importante. Com o diálogo e a fé podemos mudar”.
  • “Participar da missa e celebrar os sacramentos”.
  • “procurar a Deus na Santa Eucaristia, rezar, e viver a solidariedade”.
  • “nós jovens da Igreja devemos ir a busca dos que estão perdidos”.
  • “procurar o padre e conversar com ele o que está acontecendo realmente com você no dia a dia em relação á questão familiar”.
  • “eis que estou à porta e bato. Se alguém abrir, entrarei, cearei com ele e ele comigo”.
Anúncios