Conhecer e saborear experiências partilhadas com tanta liberdade e busca de, genuinamente, servir ao projeto de Jesus de Nazaré alimenta a esperança, faz crescer a fé, dá ânimo à caminhada de cada cristã e cristão. É assim, com olhar e coração se alargando sobre a realidade do Projeto Teologia Viva, que o Observatório da Evangelização vai, pouco a pouco, desenterrando tesouros. Hoje apresentamos a você um histórico do Projeto Evangelizador Missionário Arquidiocesano encampado pelo CEFAP, suas vicissitudes e possibilidades ao longo dos anos 2008-2010 e, depois, um adendo de 2014. Assim, gradativamente, a história vai chegando ao nosso olhar. Provoca-nos constatar o quanto esse belíssimo Projeto poderia estar transformando as comunidades e, ainda, é desconhecido para tantos…

lllllllllllllll
Foto: mundoestranho.abril

Uma preocupação há muito surgida junto à coordenação fora quanto à demanda de uma possível descentralização do CEFAP, devido às dificuldades de deslocamento numa grande metrópole. Nas primeiras Assembleias do Povo de Deus da Arquidiocese esse clamor se fez ainda mais ingente. Isso levou-nos a ensaiar, por volta do ano de 2000, uma primeira experiência de evangelização “ad extra”, levada a cabo por alunos e ex-alunos do CEFAP, que na ocasião constituíram seu Núcleo de Evangelizadores. Essa iniciativa fora o embrião do atual Projeto Teologia Viva, fruto maduro do CEFAP, o qual, em parceria com o SAB (Serviço de Animação Bíblica coordenado pelas irmãs paulinas), é regido basicamente por monitores leigos oriundos, em sua grande maioria, dos cursos do CEFAP. Após estes 21 anos, ver esse protagonismo laico evangelizador em nossa Arquidiocese sendo exercido de uma forma tão sincera e consistente, realiza um sonho humano-divino ainda prenhe de promessas.

             Nascido como resposta aos apelos da II Assembleia do Povo de Deus (APD), o Projeto Teologia Viva responde também aos anseios emergidos da III APD por formação junto às bases. O programa 2 da última APD – “Espiritualidade e Formação de mãos dadas” – objetivou ainda a proposta clara de um maior investimento na formação dos nossos evangelizadores. Para que tal proposição não fique só na letra, um genuíno ardor missionário há de empenhar todas as nossas instâncias eclesiais.

Já nos encontramos no quinto ano do Projeto, plenamente engajados num segundo ciclo formativo, previsto para 3 anos em 16 módulos. Em 2008 tivemos a celebração de encerramento conjunta dos 8 núcleos iniciais, sob a presidência de Dom Walmor Oliveira de Azevedo e a presença de cerca 450 formandos com seus familiares e amigos. Em dezembro de 2009, mais de 50 alunos do município de Santa Luzia receberam o certificado de conclusão do curso. Em 2010 foi a vez de Oliveira. No próximo ano, teremos o encerramento de um núcleo em Campo Belo.

No caminho do Projeto Teologia Viva fez-se também presente um apelo missionário proveniente das Igrejas mais pobres da Amazônia Brasileira. Assim, em 2008, com o imprescindível aval financeiro da Arquidiocese de Belo Horizonte, demos início às nossas sucessivas “visitações”, experiências especiais de graça, junto às Dioceses de Tabatinga (AM), Humaitá (AM), Macapá (AP) e Prelazia de Coari (AM), procurando adaptar o currículo original do curso às necessidades locais de cada Igreja. Os missionários têm partido em seu próprio período de férias, nos meses de janeiro e julho, para gratuita e alegremente oferecerem do que de graça receberam a centenas de pessoas, em sua grande maioria, agentes de pastoral representativos das mais diversas faixas.

Em janeiro de 2010 iniciamos o curso em Bocaiúva, norte de Minas. Agora, em julho, seguiremos também para a Diocese de Araçuaí. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, temos atualmente 10 núcleos em andamento: Santa Terezinha (Gutierrez), Cúria de Contagem (3 grupos distintos), Paróquia São Gonçalo de Contagem, Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe (Bairro Castelo), Colégio das Irmãs Ursulinas (Pampulha), Santa Maria de Nazaré (Nazaré), Pedro Leopoldo e Ribeirão das Neves, perfazendo um total de aproximadamente 600 alunos.

Muitos dos ex-alunos têm assumido os novos núcleos que estão surgindo, investindo no próprio aprofundamento do estudo bíblico-teológico, além de contribuir com um trabalho mais qualificado em suas respectivas comunidades. Assim, vemos os nossos objetivos atingidos: aprofundamento da fé e anúncio do amor de Deus na Igreja e na sociedade.

Adendo

O Teologia Viva, em 2014, termina o terceiro ciclo de três anos e deveria iniciar o próximo ano com novos núcleos. O Pe. Áureo, em conversa com a Aurea, comprometeu-se a fazer propaganda entre os padres nas próximas assembleias. Testamos na paróquia Santa Inês o curso por módulos no segundo semestre de 2013 e primeiro de 2014. Parece que esse novo formato pode atender a algumas realidades. Estamos dispostos a tratar os temas de forma modular e até mesmo novos temas conforme a necessidade. Esperamos demandas nesse sentido.

Coordenação do Projeto Teologia Viva em Missão

uuuuuuuuuuuuuuu

Anúncios