29nov2015--papa-francisco-abencoa-criancas-durante-sua-visita-a-um-campo-de-refugiados-em-bangui-na-republica-centro-africana-o-pontifice-pediuao-governo-de-transicao-e-a-seus-cidadaos-que-se-inspirem-1448806051958_956x5

O PENSAMENTO DE PAPA FRANCISCO SOBRE EDUCAÇÃO

Torna-se necessária uma educação que ensine a pensar criticamente e ofereça um caminho de amadurecimento nos valores.

(Papa Francisco, EG 64)

Introdução

Saúdo a todos os organizadores e participantes do 24º Congresso Interamericano de Educação Católica. Agradeço o convite para esta conferência de abertura. Compreendo que a escolha de meu nome é, antes de tudo, um reconhecimento do compromisso com a “educação católica” da parte da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação na efetiva parceria com a ANEC.

Considerar “o pensamento do papa Francisco sobre educação” é  tema muito oportuno para a reflexão sobre “A Escola Católica no século XXI”, tema geral deste Congresso. O horizonte eclesial do momento tem a marca da esperança. Papa Francisco, desde o início de seu ministério como bispo de Roma e papa, tem provocado em todos os setores eclesiais e, acredito, em cada um de nós, o desejo mais intenso de conversão pessoal, eclesial e pastoral. Penso ser legítimo considerar que há espaço para falar também de conversão da “educação católica”. Papa Francisco pontuou no recente Congresso Mundial de Educação Católica que a maior crise da educação na perspectiva cristã é o fechamento à transcendência. É estranho e paradoxal, mas há situações em que a escola católica ou a universidade católica se fecham à transcendência. Lembremos que o Documento de Aparecida também explicita que “a escola católica é chamada a uma profunda renovação” (337).

A novidade eclesial desses tempos veio pelo resgate da esperança já estampada no sorriso de Francisco. Veio ainda pelo seu compromisso efetivo de construir novas respostas, elaboradas com os ouvidos e o coração atentos à Palavra de Deus e à realidade que nos circunda. Assim, seu modo de pastorear a Igreja reafirma mais uma vez que “nada do que é humano é estranho à missão da Igreja” (cf. Paulo VI). Nesse sentido, a educação é objeto de especial interesse para nós, homens e mulheres atravessados pelo Palavra do Evangelho. Por isso, estamos aqui.

Entendi que não me caberia aqui recuperar a história de Jorge Maria Bergoglio como educador. Em sua trajetória como membro da Companhia de Jesus, ele exerceu diferentes funções como educador, professor e formador. Tomei, então, como referência o período de seu pontificado. Para esse trabalho fiz um recorte orientado pela pergunta: a partir de seus pronunciamentos, como Papa Francisco compreende a educação? Portanto, o caminho foi recorrer à palavra dele, escutá-la atentamente e aí descobrir as grandes linhas de seu modo de pensar a educação. Meu trabalho não é outro senão deixar falar o próprio Papa Francisco. E exorto a todos os senhores que se deixem interpelar por suas palavras. Ele próprio, na Exortação Evangelii gaudium, nos apresenta um desafio, dizendo explicitamente: “torna-se necessária uma educação que ensine a pensar criticamente e ofereça um caminho de amadurecimento nos valores” (EG 64).

É importante observar não apenas a capacidade pessoal do Papa Francisco de ensinar com muita clareza, de modo direto e breve, sempre com o recurso de imagens, mas também os seus gestos que captados pela mídia se tornam logo “virais”. Aqui vale um princípio: o Papa nos ensina por palavras e por gestos.

Nesta apresentação não vou citar a fonte das citações encontradas. Seria por demais enfadonho. No texto que será disponibilizado poderão ser encontradas as respectivas citações.

Uma indicação

Considero importante a seguinte indicação. O modo como Papa Francisco pensa a educação não está dissociado de sua experiência pessoal como homem cristão e nem de sua compreensão acerca da identidade e missão da Igreja. Portanto, há uma articulação interna e implícita entre cristologia-antropologia-eclesiologia-pedagogia. Essa articulação não pode ser negligenciada. Em outras palavras, a experiência de fé em Jesus Cristo lhe dá uma compreensão do ser humano e da missão da Igreja que ilumina decididamente seu modo de pensar a educação. Compreendo que isso é fundamental para pensar a educação católica, ou seja, articular a proposta de educação católica na relação com as verdades fundamentais da fé cristã.

Desse modo, os grandes temas do ensino do Papa Francisco desdobram-se também no seu pensamento sobre educação. Vamos poder observar como esses temas ressoam e indicam caminhos para a escola católica que busca se renovar.

Oxalá, todos que aqui estamos, tenhamos o mesmo sentimento do Papa Francisco, assim expresso:

Nós estamos aqui porque amamos a escola. E digo “nós” porque eu amo a escola, eu amei a escola como aluno, como estudante e como professor. E depois como bispo (Discurso aos estudantes e professores das Escolas Italianas, 10.05.14).

 A apresentação está organizada em cinco grandes temas, a saber:

  1. Importância da educação;
  2. A escola;
  3. Os educadores;
  4. O pacto educacional;
  5. Horizontes da educação segundo Francisco. 

(Atenção: Clique em cima de cada item para abrir cada um dos temas desenvolvidos.)

Conclusão

A capacidade de incluir sempre o outro é um traço extraordinário na pessoa do Papa Francisco. Vejam como ele encerrou seu diálogo com os jovens em Cuba:

E peço que rezeis por mim. E se algum de vós não for crente – e não pode rezar, porque não é crente – que ao menos que me deseje coisas boas. (Saudação aos jovens do Centro Cultural Padre Félix Varela, Cuba, 20.09.15).

Se Papa Francisco estivesse aqui estou certo de que pediria que rezássemos por ele. Assim, tomo a liberdade de pedir aos senhores que rezem pelo Papa Francisco.

E concluo com um convite. Releia os extratos dos pronunciamentos do Papa Francisco que aqui apresentamos. Deixe, mais uma vez, interpelar-se pela palavra do Santo Padre. Tenho esperança de encontrarmos em suas palavras preciosas indicações para pensar “A escola católica no século XXI”.

Muito obrigado!

 

DSC04603(4).jpg

 

+ Dom João Justino de Medeiros Silva

Bispo Auxiliar de Belo Horizonte

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação

Coordenador do Observatório da Evangelização – PUC Minas

 

 

Ps. 1. Acesse ao Power Point A EDUCAÇÃO SEGUNDO PAPA FRANCISCO, carinhosamente disponibilizado pelo autor.

Ps. 2. Este texto apresentado no 24º Congresso Interamericano de Educação Católica – “A Escola Católica do século XXI”.

Anúncios