rv19028_articolo
Para dizer “não ao terrorismo” após o assassinato do Padre Jacques Hamel, muçulmanos foram às Igrejas na França e Itália – RV

Roma (RV) – São mais de seis mil até o momento as comunidades muçulmanas na Itália que aderiram à iniciativa “Cristãos na mesquita”, lançada nos dias passados pela Comunidade do Mundo Árabe na Itália (CO-MAI) e pelo Movimento Internacional transcultural e Inter-profissional “Unidos para unir”, cujo presidente Fouad Aodi,  médico italiano de origem palestina, é fundador da Associação Médicos de Origem estrangeira na Itália.

Não ao terrorismo

Abrir as portas das mesquitas aos cristãos em 11 de setembro –  15º aniversário dos trágicos atentados nos Estados Unidos – e no dia 12, quando os muçulmanos festejarão o Id al-Adha, a Festa do Sacrifício, é a proposta lançada pela CO-MAI, para dizer juntos “não ao terrorismo” e responder ao convite dos cristãos para os muçulmanos irem às Igrejas após o bárbaro assassinato do Padre Jacques Hamel, ocorrida durante a celebração de uma missa em sua paróquia em Saint-Etienne-du-Rovray na França.

Grande mesquita de Roma ainda não respondeu

Foram muitas as mesquitas que responderam ao apelo. Porém, falta ainda a de Roma. “Houve uma grande adesão – declarou Aodi, como refere a Agência Adnkronos – mesmo que até o momento ainda não tenha dado uma resposta a Grande Mesquita de Roma e outras duas siglas. Confiamos em uma resposta positiva: não será um momento de oração, como alguns temes, mas um momento de reflexão comum para um novo nascimento, sem mais divisões”.

Papa Francisco

Fouad Aodi, na qualidade de representante na Itália da Aliança das civilizações, escreveu também ao Papa Francisco pedindo o seu apoio para a iniciativa.

As mesquitas “abrirão as suas portas do norte ao sul da Itália para visitantes cristãos e leigos – 15 anos depois do atentado às Torres Gêmeas – para enviar uma mensagem de paz e apoiar o diálogo inter-religioso, também como instrumento contra o terrorismo”.

Adesões

Aodi assinala que, entre as mesquitas que já aderiram à iniciativa, encontra-se a de Turim – além de outras do Piemonte – mas também em Ravenna e Cesena, Úmbria e Sicília. A adesão chegou também das mesquitas do Conselho Supremo do Islã na Itália e da Comunidade Islâmica da Puglia.

No Lácio, nos dias 11 e 12 de setembro, serão abertas aos cristãos as mesquitas de Centocelle, Laurentina e de Ostia. Adesões também foram registradas na Emiglia-Romagna, Marcas, Lombardi e em outras regiões.

Programa

O programa prevê para o domingo, das 17 às 20, encontros nas mesquitas com debates e trocas de mensagens de paz e de solidariedade, para “abater o muro dos medos e dos preconceitos”.

Na segunda-feira, dia do Id al-Adha, será possível ir às mesquitas que aderiram à iniciativa, desde às 10 da manhã, para a troca de felicitações.

O Departamento da Presidência da CO-MAI, além de Aodi, é formado por representantes da comunidade marroquina, argelina, tunisina, libanesa, egípcia e palestina.

(JE/Osservatore Romano)

Fonte:

Rádio Vaticano

 

Anúncios