O Teologia Viva, projeto que tivemos o prazer de divulgar neste espaço, é dinâmico e vai muito além de ser um curso adaptado às diferentes realidades a fim de ministrar um conhecimento teológico às pessoas das comunidades por ele atendidas. É teologia, mas é também VIDA. Ler a narrativa de Maria de Fátima, acerca da conclusão de uma das experiências missionárias do Projeto Teologia Viva, move-nos internamente. Impossível não se deixar interpelar por essa experiência tão humana; tão divina!

O Observatório da Evangelização convoca os monitores que estiveram presentes em Novo Cruzeiro nestes cinco anos para, aqui, tecer seus comentários, acrescentar suas experiências, nomear-se. Queremos conhecer vocês. Parabéns a todos! Que Deus torne fecunda sua missão.

 

Experiências do Projeto Teologia Viva, Paróquia São Bento, Novo Cruzeiro/Minas Gerais.

O projeto Teologia Viva da Arquidiocese de Belo Horizonte, sob a coordenação do Pe. Luiz Eustáquio dos Santos Nogueira, secretariado por Aurea Marim, assessorados por monitores e liderados por Maria de Fátima Cerqueira da Silva, realizou, durante seis anos, o curso de Teologia bíblico-pastoral, na Paróquia São Bento, Novo Cruzeiro, diocese de Araçuaí, Minas Gerais.

468 cursistas, das 72 comunidades que compõe a paróquia se fizeram presentes nas formações.

Pe. Delmiro Mendes, pároco até junho de 2016, nos acolheu com todo comprometimento, cuidado, responsabilidade e carinho.

As irmãs Franciscanas foram nosso ponto de apoio.

Os monitores sempre comprometidos e preparados para administrar as disciplinas de cada módulo.

A Paróquia São Bento está situada em uma das cidades mais carentes do Vale do Jequitinhonha, que é Novo Cruzeiro.

A região é a mais pobre. A seca castiga muito aquele povo. Em algumas comunidades o abastecimento de água é feito por caminhões pipas a cada 15 dias, sendo que há comunidades distantes da Sede da paróquia 96 km de estradas de terra, muitos morros e de difícil acesso.

aaa               bbb

ccc               dddd

Deparamos com muitas pessoas com caso grave de depressão, câncer, baixa autoestima, problemas com alcoolismo e suicídio. Casas sem banheiro, em que as pessoas fazem suas necessidades no mato, é de doer o coração…

eeeee

No período de março a dezembro os homens vão para São Paulo para o corte de cana-de-açúcar, geralmente as mulheres é que cuidam dos filhos, da roça e das criações (quando possuem) e da comunidade.

fffff         ggggg

Assim que foi implantado o Projeto Teologia Viva, vimos fortemente o apelo de Deus para fazermos uma opção pelos pobres.

A teologia para ser viva precisa acolher de maneira singular o desejo de Deus: uma Igreja missionária e solidária com os que sofrem. A opção pelos excluídos despertou em nós uma verdadeira compaixão.

Terminamos em julho de 2016 a última etapa do curso, foram 5 turmas, aproximadamente 92 cursistas por turma.

hhhhh                           iiiiii

jjjjj            kkkkk

Hoje as comunidades se beneficiam muito com as experiências adquirida pelos seus coordenadores que fizeram o curso Teologia Viva. Para nós monitores foi uma partilha de experiência e fé.

Pe. Delmiro, vendo a carência de algumas comunidades da paróquia, nos pediu para apadrinharmos algumas delas. Nosso trabalho consiste em: assessorar a comunidade com assistência espiritual, retiros, formação de pastorais, festas dos padroeiros, cursos bíblicos e outros.

Os monitores-padrinhos e suas respectivas comunidades são:

– Sra. Ana Beatriz de Oliveira: comunidade Santa Terezinha, distrito de Queixada

– Sr. Antônio Augusto Nogueira: assentamento Aruega

– Sra. Maria de Fátima Cerqueira: comunidade de Santa Bárbara, Santa Bárbara

– Sr. Marco Antônio Tourinho: comunidade Sagrado Coração de Jesus, Lambari

A paróquia nos pediu para estarmos presentes pelo menos quatro vezes por ano para formações. Assim poderíamos acompanhar de perto o desenvolvimento das comunidades.

A Sra. Amália Santa (professora da UFMG), esposa do Sr. Marco Antônio, desenvolveu um trabalho muito bonito junto às mulheres da região, sendo a maioria das participantes mulheres com algum problema psicossocial. Os trabalhos são de artesanato, como bordados, crochês, fuxicos, tricô, bróia (abrolho), tapetes, bolsas e outros. Muitos destes trabalhos são vendidos nas comunidades e na associação de mulheres, que é uma fonte de renda. Muitos trabalhos já foram para a Itália, Cuba e outros países. Desde então, a alegria destas mulheres foi retomada.

Ana Beatriz desenvolveu um trabalho de formação catequética, visitas às casas, sobretudo dos doentes, crianças e idosos.

Com a presença da madrinha Ana Beatriz e a ajuda do Pe. Delmiro, junto à comunidade da qual é madrinha, conseguiram a reforma da capela e doações de paramentos litúrgicos. Foi um grande desafio, mas muito gratificante.

O sr. Antônio Augusto, padrinho do assentamento Aruega, tem desenvolvido um grande trabalho de formação com retiros, conseguindo ajuda financeira para compra de bíblias e material litúrgico.

O sr. Marco Antônio e Amália, sua esposa, vêm desenvolvendo um trabalho religioso e social junto à comunidade que tem resgatado muitas famílias e ajudado muita gente.

A sra. Maria de Fátima assumiu a liderança dos trabalhos missionários realizados na paróquia desde 2010. Sinto-me muito amada por Deus. Sou grata a Ele por me confiar tão grande desafio.

Foram muitas as pessoas que fizeram parte da minha história de vida, destaco Mayara, uma jovem com câncer já em fase terminal que em nenhum momento se deixou abater pela doença. Nos últimos dias, lhe pedi que fizesse uma oferta de sua dor assim como Maria doou a sua vida aos pés da Cruz, junto a Jesus, sem se desesperar.

Outra jovem, Lucimar, que precisou fazer cirurgia de glaucoma, tirando os olhos, que haveria apenas seis por cento de chance de dar certo. Confiando em Jesus–Eucaristia decidiu fazer a cirurgia em São Paulo e deu tudo certo.

Recordo da Rose, uma jovem mãe de seis filhos pequenos, o esposo deficiente, muita pobreza. Está com um câncer nos olhos e já fez duas cirurgias. Na última etapa do curso, deste ano, tivemos a doação de 85 pares de chinelos havaianas, com um deles nós presenteamos a Rose, que foi novamente para Ipatinga fazer outra cirurgia e não tinha chinelos para calçar no hospital, imaginem a alegria dela.

Muitas pessoas voltaram a estudar depois de muito tempo, incentivados pelo curso Teologia Viva, outros foram trabalhar e fazer faculdade em outra região do país.

Cito a Dany que faz Medicina em Santa Maria/RS. Vinícius, Serviço Social em São Paulo. Diogo hoje é seminarista em Araçuaí e faz Filosofia. Mara, do acampamento Nova Vida, faz Administração.

Muitos chegaram a passar em concursos públicos! Há muitas outras pessoas que se sentem melhores depois do curso de Teologia Viva.

Uma última experiência foi o desafio da esperança. Em julho de 2016, quando chegamos para realizar a última etapa do curso, o Pe. Delmiro, já não estava na administração da paróquia. Como na semana anterior havia sido a festa do padroeiro da paróquia, o vigário, Pe. Adílson estava muito envolvido com tudo e não teve tempo de preparar a paróquia para o curso.

Ninguém estava nos esperando. Na segunda-feira fomos para o colégio onde foi administrado o curso só que não havia nem mesmo o café da manhã para os cursistas que chegavam das comunidades. Éramos aproximadamente cem pessoas. Não havia nada para a alimentação de todos os dias. Como o curso era de minha responsabilidade, Fátima, fiquei preocupada e decidi conversar com os monitores: “viemos até aqui e agora vamos nos virar e confiar na providência de Deus.”

Cada monitor contribuiu com o que pode financeiramente. Reunimos alguns cursistas e fomos pedir alimentos na cidade. Deus nos surpreendeu com a bondade de todos. Não nos faltou nada, nos alimentamos muito bem. Carnes, legumes, feijão, arroz, óleo, material de limpeza, pó de café e muito mais. De todas as turmas que se formou (estive presente em todas), esta foi a mais bela. Foi uma festa linda! Uma missa maravilhosa. Um jantar doado pelas comunidades que se juntaram a nós e pediram doações. Aproximadamente quinhentos convidados e sobrou até para o Bispo almoçar no dia seguinte!

llllllll              mmmmm

nnnnn             ooooo

pppppp             este

rrrrrrr

Agradecemos profundamente a todos que colaboraram para que em todos esses anos o trabalho fosse realizado:

Dom Walmor de Oliveira Azevedo

Pe Áureo Nogueira de Freitas – Vicariato de Pastoral

Pe. Luiz Eustáquio Santos Nogueira

Aurea Marin Burocchi

Todos os monitores e monitoras, amigos que, de uma forma muito especial se doaram para que todas as etapas do curso Teologia Viva se concretizassem.

Aos cursistas que foram a razão de nosso empenho, meninas dos nossos olhos.

O nosso muito obrigado por tudo e para sempre!!!

Maria Fátima Cerqueira em nome da equipe.

Belo Horizonte, agosto/2016

Anúncios