A Palavra de Deus deixa claro que a fé só pode ser vivida na história e que o Reino de Deus se concretiza e cresce em meio a realidade social repleta de contradições, frustrações e desilusões, mas também de avanços, conquistas e superações! O Evangelho aposta em valores e princípios que, quando encontram acolhida no coração humano, transformam-se em fermento transformador rumo a construção de outra sociedade possível.

A vida de Jesus de Nazaré e de seus discípulos e discípulas, ao longo da história, mostram a inseparabilidade entre fé e política. Elas formam uma unidade quando pensamos a dinâmica da vida humana em sociedade:

  • A fé cristã oportuniza a experiência de um amor que nos dignifica como filhos e filhas de Deus e nos irmana a todos forjando o desafio de convivermos pautados pela justiça, igualdade, respeito ao direito, misericórdia, amor solidário e fraterno.
  • A política, enquanto exercício do poder em vista da construção e garantia do bem comum na convivência humana, é o meio próprio para concretizarmos a convivência humana com normas e leis que garantam a justiça e a igualdade social, bem como o combate à desigualdade, à violência e à exclusão. Através das políticas públicas, promove-se o acesso de todos à saúde, educação, moradia, dentre outros.
  • A cidadania traduz, no horizonte de nosso tempo, o reconhecimento de que todos somos iguais perante a lei. A Constituição Federal é chamada a garantir a todos os homens e mulheres a igualdade de direitos e de deveres e a defesa da dignidade humana. Cabe a sociedade, com suas instituições e movimentos populares, garantir esta igualdade e defender a inclusão dos marginalizados da dignidade e combater toda forma de privilégio.

Juntas, “fé-política-cidadania”, formam unidade necessária para a vivência do seguimento de Jesus com a consciência dos desafios e urgências da época e do contexto onde estamos inseridos e que precisam de respostas concretas de todos nós. A experiência histórica mostra que o divórcio entre elas favorece a compreensão intimista, superficial e acomodada da vida cristã, vivida concretamente sem qualquer compromisso com a transformação da sociedade em que vivemos.

img_7724

img_7648

A QUARTA Diretriz recebeu a seguinte redação:

  1. Fé, Política e Cidadania

Uma das dimensões fundamentais da fé, pautada na Palavra de Deus e no Ensinamento da Igreja, é o compromisso com a Política e a Cidadania, entendidas como a busca e a promoção do bem comum; como o sinal de comunhão, que revela a justiça do Reino; e o compromisso de todos os batizados e batizadas.

Dessa forma, devemos:

  • a)  No nível da PESSOA

FOMENTAR a educação cristã da fé dos discípulos e discípulas de Jesus, para o exercício da cidadania, tendo em vista a justiça e a paz, a partir da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja;

  • b)  No nível da COMUNIDADE

CRIAR e FORTALECER os grupos de Fé e Política, bem 
como outros organismos eclesiais, como consciência da transversalidade da Política, que propiciem a articulação política dos cristãos e cristãs, sobretudo das juventudes, como indispensável compromisso social e político, fruto da fé, que supera o assistencialismo e transforma a sociedade;

  • c) No nível da SOCIEDADE

INTEGRAR a pastoral, com a participação dos cristãos e cristãs nas organizações sociais, nas associações comunitárias e nos conselhos públicos; de modo que cristãos e cristãs, vocacionados às funções públicas e partidárias, assumam tais funções inspirados no Evangelho e no Ensino Social da Igreja.

(As palavras com letras maiúsculas e os grifos são do Observatório da Evangelização)

Fonte do texto aprovado: Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral

Edward Neves Monteiro de Barros Guimarães

Secretário Executivo do Observatório da Evangelização

Anúncios