Como não colocar como urgência o desafio de evangelizar as juventudes, quando as pesquisas indicam, não apenas o crescente envelhecimento no perfil dos católicos, mas a desafeição religiosa e o grave decréscimo de jovens engajados em nossas comunidades, pastorais e grupos cristãos católicos?

Não se trata de tarefa simples, mas de um desafio urgente e incontornável. Não se trata apenas de buscar estratégias sedutoras para arrebanhar jovens para nossas Igrejas, mas de encontrar novas linguagens e vivências capazes de tocar-lhes, de apresentar, a partir deles, a beleza da fé cristã, de favorecer o encontro transformador com Jesus Ressuscitado e de encantá-los com a proposta entusiasmante do Reino.

A Igreja particular de Belo Horizonte elegeu para as novas diretrizes a “opção preferencial pelas juventudes”. Imediatamente brotam importantes questões daí consequentes. Merecem destaque, dentre outras, o de:

  • Como concretizar esta opção na dinâmica das ações evangelizadoras da Igreja conscientes da importância do protagonismo juvenil?
  • Como aproximar e integrar na dinâmica eclesial o mundo específico dos jovens?
  • Como conhecer, acolher e reconhecer os diversos rostos das juventudes, no seio da Igreja, e promover a sua dignidade e plena cidadania, social e eclesial?

Eis o desafio de todos nós cristãos católicos comprometidos com a caminhada da Igreja!

img_7362

img_7875

A SETIMA Diretriz recebeu a seguinte redação:

  1. Opção preferencial pelas juventudes

A Igreja se realiza quando considera todos os seus membros, em sua importância. As juventudes ajudam a Igreja a se abrir para novos horizontes, nos quais pode viver sua fé e sua missão. Da mesma forma, a Igreja contribui para que os jovens e as jovens façam sua escolha por Jesus Cristo e pelo Reino, na experiência comunitária de amadurecimento da fé, traduzida em efetiva participação.

Dessa maneira, devemos

a) No nível da PESSOA

VALORIZAR as juventudes, sobretudo as empobrecidas, respeitando-as e acolhendo-as como sujeitos, com potenciais para inspirar novas práticas evangelizadoras e de testemunho do Evangelho às comunidades e paróquias

b) No nível da COMUNIDADE

REAFIRMAR a opção preferencial pelas juventudes, acompanhando-as e promovendo iniciativas que inspirem o protagonismo juvenil nos diversos âmbitos pastorais e a articulação de grupos de jovens, em um processo contínuo de catequese; bem como, fomentando uma nova estrutura para o Secretariado Arquidiocesano das Juventudes (SAJ), a fim de que ele esteja integrado com os Vicariatos Especiais;

c) No nível da SOCIEDADE

FOMENTAR, permanentemente, a formação cristã, vocacional, sociopolítica e cidadã das juventudes, integrando fé e vida, para que elas não sejam manipuladas e cooptadas pelos sistemas geradores de mortes e exclusões, nem alijadas de sua responsabilidade na construção de um mundo novo possível.

 (As palavras com letras maiúsculas e os grifos são do Observatório)

Fonte do texto aprovado: Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral

Edward Neves Monteiro de Barros Guimarães

Secretário Executivo do Observatório da Evangelização

Anúncios