A semana caminha para o fim, mas no 22º Encontro Nacional dos Santuários do Brasil ainda há tempo para diálogo, conhecimento e troca de experiências. Na tarde dessa quinta-feira, 09 de março, os participantes do evento acompanharam breves palestras dos patrocinadores do encontro, o intuito foi apresentar alguns serviços dessas empresas e propostas que auxiliem e potencializem o trabalho exercido pelos santuários, desde à parte pastoral até questões administrativas e organizacionais. Na ocasião, os representantes do Santuário de Santa Paulina, da cidade de Nova Trento/SC, apresentaram um modelo de gestão que deu certo nas experiências lá vividas, é uma forma de sugerir ideias a serem adaptadas a cada realidade.

Os representantes de Santuários participaram da celebração eucarística presidida por Dom Décio, bispo emérito de Colatina/ES. Em tom de agradecimento dom Décio falou da beleza do encontro, dos momentos tão importantes de partilha, e finalizou reverenciando o mais belo cenário da padroeira de Minas: o Santuário Estadual da Serra da Piedade. Para esse momento ele separou algumas palavras singelas, escritas por ele, em uma poesia que relembra todo o gratificante trabalho de Frei Rosário, o antigo reitor do Santuário da Serra da Piedade que lá viveu por 51 anos, exercendo seu ministério pastoral e trabalhando em prol do Santuário. Assim, dom Décio leu a poesia durante a celebração:

FREI ROSÁRIO E SERRA DA PIEDADE

Duas realidades que se abraçam e se explicam.

Uma não tem sentido sem o outro.

Um, animado. E que animação.

Outra, coisa concreta. Bem concreta.

Evocando o espiritual, bem espiritual.

 

Um, parecendo pedra bruta em quem o olha,

a mente e o coração liberam,

constantemente o vinho da alegria,

 da amizade, do sonho, da piscina.

 

Outra, verdadeiramente pedra,

mas deixando-se acarinhar pela brisa,

acobertar pelas nuvens,

namorar pelo piscar de estrelas,

aApaixonar pela lua,

reverberar pelo sol,

fecundar pelo orvalho,

silenciar pela noite escura,

orquestrar pelo vento e chuva,

toma ares de bela senhora.

Serra que brilha. Serra Mistério. Serra da Piedade.

Que bonita que ela fica!

 

O outro, modelado pela pobreza,

temperado pela austeridade,

inebriado pela verdade,

envolvido pelo carinho de homens e mulheres;

sonhadores, profetas, artesãos, músicos e poetas,

místicos e humanistas…bruxos e bruxas.

Rosário da verdade,

Rosário da humanidade,

Rosário da Piedade.

Frei Rosário,

Que bonito que ele fica!

 

Ela e ele.

Tão estranhos e tão próximos.

Tão diferentes e tão parecidos.

No coração de ferro das Minas Gerais

ela se alteia oferecendo o dorso

onde pousa arca da fé, da esperança, do amor:

MARIA.

 

Ele a acolhe no amor: Rosário.

No seio dos dois as lágrimas da humanidade.

Serra da Piedade.

 

Em um segundo momento, já descontraídos, os participantes do encontro dançaram e cantaram ao som de Chico Lobo, cantor e compositor mineiro. Foram cantigas de roda, catira e uma moda de viola que fez a galera se animar e cantar junto.
Confira algumas fotos do encontro hoje:

Por Janaína Gonçalves
Fotos: Camilla Moreira
Equipe Observatório da Evangelização

Anúncios