Padre Joel Maria dos Santos orienta sobre a vivência deste tempo especial

As comunidades de fé se preparam para celebrar a Semana Santa, e o vigário episcopal para a Ação Pastoral da Arquidiocese de Belo Horizonte, padre Joel Maria dos Santos, recorda que esse tempo ocupa lugar central na vivência da fé cristã. Nesta entrevista, padre Joel fala sobre o sentido da Semana Santa e os caminhos que estão sendo percorridos para efetivar o Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra, da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Centralidade da Semana Santa

“Na Semana Santa, celebramos o mistério central da nossa fé, da nossa vida cristã, isto é, a paixão/morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Vivemos com Ele o caminho do calvário, da sua entrega/oferta amorosa a nós, cumprindo a vontade do Pai. Por fidelidade e obediência ao Pai, Ele vai à cruz e nela derrama seu sangue pela vida de toda a humanidade. Ao celebrar a Semana Maior, somos convidados ao mergulho nas profundezas do amor de Deus que salva a humanidade toda, e ao mesmo tempo, renovar, como seguidores dele, nosso compromisso de também sintonizar nosso coração com todos os que sofrem, com os pobres, os pequeninos, os injustiçados, fazendo-nos todos mais solidários e servidores dos prediletos do Reino. Celebraremos com alegria e agradecidos esses mistérios que, ao mesmo tempo, nos interpelam a estarmos no coração do mundo, movidos pela Palavra e Testemunho do Mestre, como verdadeiros discípulos e discípulas daquele que indo à frente, ensinou-nos o caminho a seguir.”

Recomendações para a vivência deste tempo

“Na vida da Igreja, quando nos referimos ao Ano Litúrgico, e, por conseguinte, aos tempos litúrgicos com seus ciclos, temos em cada um deles um momento de preparação, de celebração e de prolongamento da festa. Considerando o ciclo Pascal, em que celebramos a paixão/morte e ressurreição de Jesus Cristo, o momento de preparação se refere à quaresma. A quaresma não tem um fim em si mesmo, mas é pensada em relação à Pascoa. Enquanto tal, a quaresma nos propõe os seus exercícios que, por sua vez, visam colaborar conosco no caminho da conversão. Neste horizonte, a Palavra de Deus tem uma primazia importantíssima. É a partir dela que somos convidados à conversão. Ela nos leva à busca da oração, da interiorização. Ela nos leva à prática da caridade. Assim, por meio do jejum, da oração, da caridade e interpelados pela Palavra, criamos condições para uma adequada vivência do tempo quaresmal levando-nos a assumir uma vida nova com Cristo a partir da sua Páscoa. Renovados com Ele, por sua vida oferecida, chamados somos a transformar nossa realidade, onde cada vez mais a vida é ferida e comprometida em sua dignidade.”

A importância de participar da Missa da Unidade

“Dentro da Semana Maior, a Semana Santa, celebramos, na Quinta-feira Santa, a Missa da Unidade, ou chamada também Missa do Crisma. Nessa celebração, que se recomenda a presença de todos unidos aos seus pastores, celebra-se a unidade de uma Igreja particular reunida com seu Arce(bispo), presbíteros, diáconos, seminaristas, religiosos e religiosas, consagrados e consagradas, todos os fiéis. Testemunhamos o valor e a importância da comunhão em que rezamos pelos que nos guiam e também pelo amado Povo de Deus. Na celebração da unidade a cada ano, os presbíteros renovam, diante do bispo e da comunidade, seus compromissos sacerdotais assumidos em sua ordenação sacerdotal, o de estar a serviço do Povo de Deus exercendo junto a eles o sacerdócio de Cristo, e o de se colocar como colaboradores da ordem episcopal (bispos). Essa celebração é conhecida também como do Crisma, devido ao fato de, durante a Missa, serem abençoados os óleos usados no sacramento do Batismo (óleo dos catecúmenos), no sacramento da Unção dos Enfermos e no sacramento da Crisma. É o momento em que o óleo do Crisma é consagrado. Com ele, os recém-batizados são ungidos e os confirmados pela Crisma são marcados. Com o Santo Crisma os cristãos são inseridos pelo batismo no mistério pascal de Cristo, se tornam participantes do seu sacerdócio profético e real, e, pela confirmação, recebem a unção espiritual do Espírito Santo que lhes é dado. Assim, ao participarmos desta celebração da unidade, vivemos um momento de profunda comunhão e fortalecimento da nossa consciência e fé em participarmos dos mistérios de Cristo na vida da comunidade cristã.”

Projeto de Evangelização: Proclamar a Palavra

“A nossa amada Arquidiocese de Belo Horizonte está agora comprometida com o Projeto de Evangelização, e mais ainda, com o espírito que o alimenta, isto é, a Palavra de Deus. Esse projeto é fruto do longo e importante caminho que fez nossa Arquidiocese a partir das suas mais diversificadas instâncias: as comunidades, as paróquias, as foranias, as regiões, os vicariatos especiais, enfim, a mobilização de todas as forças vivas e evangelizadoras de nossa Igreja particular. Temos em nossas mãos, e, sobretudo no nosso coração, o compromisso de colocar em prática tudo o que o Povo de Deus escolheu como caminho desafiador e evangelizador na vida das inúmeras comunidades, quer sejam nas áreas rurais, cidades históricas, nas vilas e favelas, nos prédios e condomínios, centros urbanos, enfim, em todo lugar em que cada um de nós se faz presente e é chamado a estar como Igreja missionária. Neste momento, estamos tornando o Projeto de Evangelização conhecido com a ajuda dos vários meios de comunicação: redes sociais, sites, Observatório da Evangelização, TV Horizonte, Rádio América, Assessoria de Comunicação da Arquidiocese. Até o dia 20 de março, todas as paróquias deverão entregar à sua região os seus planos pastorais. Lembramos ainda que o projeto pastoral terá a sua força maior justamente nas paróquias. As comunidades paroquiais são a instância de vivência do projeto pastoral, onde de fato o Projeto de Evangelização acontece. Cada Região vai articular a melhor forma de viabilizar a execução dos planos. No âmbito da forania, deverá ser promovida a experiência da partilha dos planos entre as paróquias. Essa experiência possibilitará o crescimento e a ajuda entre as comunidades paroquiais. Quanto à Arquidiocese, por meio do Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral, caberá a orientação de todo o trabalho a ser desenvolvido em relação ao Projeto – com assessorias, acompanhamento e iniciativas que ajudem todas as instâncias a melhor vivê-lo, traduzindo em ações concretas o Projeto de Evangelização. O nosso Projeto de Evangelização estabeleceu 10 compromissos a partir do encontro com a Palavra de Deus. Esses compromissos devem ser assumidos com todo empenho, dedicação e amor, buscando traduzir a escuta da Palavra, no serviço a cada pessoa que encontrarmos, comunicando a alegria do Evangelho que transforma vidas e corações, testemunhando a força Salvadora de Cristo Jesus a todos.”

Os 10 compromissos do Projeto de Evangelização

1. Fortalecer a rede de comunidades.
2. Assumir, cada vez mais, a nossa opção preferencial pelos pobres.
3. Ser Igreja da acolhida, estar com as portas e os corações abertos para testemunhar a misericórdia de Deus.
4. Cultivar a ética na política e no exercício da cidadania com a força da fé.
5. Investir na família.
6. Incentivar, cada vez mais, o protagonismo das pessoas nas muitas tarefas da Igreja.
7. Dedicar-se aos jovens, escutá-los, envolvê-los nos trabalhos.
8. Promover formação integral e permanente, para que todos possam Proclamar a Palavra de Deus.
9. Investir na Catequese
10. Evangelizar a partir da Comunicação e da Cultura.

                                                                                                            Padre Joel Maria dos Santos                                                                                       Vigário episcopal para a Ação Pastoral  e coordenador do Observatório da Evangelização

FONTE: Opinião e Notícias

Anúncios