Depois de definidas as diretrizes (compromissos) para as ações evangelizadoras da Igreja Particular da Arquidiocese de Belo Horizonte, na 5ª Assembleia do Povo de Deus, elaborou-se o Projeto de Evangelização “Proclamar a Palavra” para o próximo quadriênio (2017-2020). Ao longo do primeiro trimestre, as paróquias, os vicariatos episcopais e as regiões episcopais elaboraram o seu Plano. Agora, mãos a obra, que seja um compromisso de todos os cristãos concretizar Projeto e Plano por meio de processos eclesiais e ações evangelizadoras específicas.

A partir de hoje, publicaremos aqui as reflexões catequéticas de Neuza Silveira de Souza, coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH. Que esse esforço catequético ajude no desafio de tornar, ao alcance de todos/as, o Projeto conhecido e assumido.

 

Proclamar a Palavra:

ponto de partida para a evangelização

5assembleia-do-povo-de-deus-o-copia-1
5ª Assembleia Arquidiocesana do Povo de Deus, 15/10/2016, quadra do Colégio Pio XII, Belo Horizonte.

A Igreja de Belo Horizonte convida todos a conhecer e a vivenciar o Projeto de evangelização “Proclamar a Palavra”, fruto da 5ª Assembleia do Povo de Deus (5ª APD). Feito isso, nosso próximo passo será tornar conhecido e vivenciado esse rico projeto, por meio das nossas ações na igreja, bem como no cotidiano da vida familiar, nas escolas, no trabalho, nas vizinhanças, ou seja, no convívio interno dos nossos lares e nas periferias do nosso ethos (ambiente,  morada do homem, lugar que indica quais os traços característicos de um grupo humano qualquer que o diferenciam de outros grupos sob os pontos de vista social e cultural).

Em ambientes, onde se constrói a identidade social, somos convidados/as a assumir os compromissos propostos pela 5ªAPD e a levar o anúncio de Jesus Cristo para as nossas catequeses,  nossas comunidades, colocando a Palavra de Deus como eixo central de toda ação pastoral, evangelizadora e missionária da Igreja.

Apresentadas as diretrizes da nossa Arquidiocese para a elaboração dos planos pastorais, somos chamados/as a assumir os compromissos propostos conforme as necessidades de cada comunidade paroquial. Sejamos motivados/as pela palavra do Apóstolo Paulo que nos diz em sua carta aos Coríntios ( 1Cor 9,16): “Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho”. Assim, somos interpelados/as a sermos discípulos/as e testemunhas do Ressuscitado, a trabalhar para que sua Palavra se torne conhecida.

Como evangelizar em nossas realidades?

Olhando ao nosso redor e observando os sinais que nos apontam que caminhos devemos percorrer, somos chamados/as, enquanto catequistas, a ajudar os/as nossos/as catequizandos/as,  mas também nossas famílias e nossas comunidades a fazerem a experiência do encontro pessoal com Jesus Cristo.

Através de Jesus Cristo, Deus se revela a nós, se dá a conhecer. É Jesus quem nos comunica tudo o que ouviu do Pai e nos convoca a transmitir aos outros e à Igreja, o que dele ouvimos. Como membro da Igreja, cada cristão tem o poder de revelar o amor de Deus, de amar e dar tudo de si àqueles que ama, assim como fez Jesus. Essa é a nossa missão de catequista.

Conectados ao projeto “Proclamar a Palavra”

O projeto de Evangelização “Proclamar a Palavra” é de todos/as e de cada um/a de nós. Assim, é fundamental assumi-lo como nosso, conforme as prioridades estabelecidas nos planos pastorais de nossas paróquias. Vamos caminhar juntos, colocar nossas experiências a serviço dos/as irmãos/ãs e construir redes de comunidades como espaços privilegiados de vivência da comunhão fraterna, conforme o proceder de Jesus. Vamos oferecer o que temos e sabemos àqueles que mais necessitam de nossos serviços; como Jesus, nos aproximar das realidades  onde, a olhos nus, enxergamos a pobreza e as injustiças.

Na prática das nossas ações, vamos olhar para as nossas crianças, acolhê-las, assim como Jesus fez, cientes de que com elas somos ainda mais capazes de sentir a ternura de Deus, a beleza do universo e a singeleza do agir cristão. Pensemos também nos jovens e nos adulto, na prática da solidariedade, da fraternidade. É importante oferecer uma palavra criadora, que salva, solidária com os pobres para promovê-los a um estado de dignidade e libertação para todos. Procurar formar pessoas adultas na fé e na responsabilidade, assumindo a realidade e se abrindo ao diálogo.

Vamos inaugurar um novo tempo com nossas catequeses querigmáticas para suscitar e fortalecer a fé no Cristo Jesus, centro da nossa fé trinitária. Tendo Jesus como fundamento da nossa fé, ele é aquele que nos propõe e não nos impõe. Cativados/as pela sua Boa-Nova, seu Evangelho, nós nos colocamos no seu seguimento. Seguir Jesus é o fundamento essencial e original da nossa vida cristã: como o povo de Israel seguia Deus, que o conduzia no deserto rumo à Terra prometida (cf. Ex 13,21), assim o/a discípulo/a deve seguir Jesus, para o qual é atraído pelo próprio Pai (cf. Jo 6,44).

Neuza

Neuza Silveira de Souza

Teóloga leiga, com especialização em teologia pastoral voltada para a catequese, objeto de sua especialização e pesquisa de mestrado. Atualmente, coordena da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Anúncios