Quando algo está alicerçado sobre um tripé tão consistente quanto aquele formado no amálgama: amor, razão e fé, fundamentando todo o trabalho, o que se esperar disso? Conscientes do papel que lhes cabe de transformar vidas, os educadores que bebem da espiritualidade de São João Bosco constroem uma obra linda, porque são conscientes que todos ali são responsáveis pela transformação da sociedade.

Isso testemunhei ao visitar as obras sociais dos salesianos em nossa Arquidiocese de Belo Horizonte e tentar entender: Centro Juvenil? CESAM? Casa Dom Bosco? Qual é, afinal, o “coração da obra de Dom Bosco”? Toda a ação social: É o que compreendemos após entrevistar pessoas tão diferentes, mas com a mesma crença: “a gente tem, sim, a capacidade de impactar vidas!”

A vivência orgânica da espiritualidade casada a uma metodologia própria, que visa resgatar o que a pessoa tem de mais bonito, por acreditar no potencial da cada criança, adolescente, jovem… A utilização de uma metodologia própria que une o sistema preventivo à presença contínua, próxima e amiga do educador… A certeza de que a dimensão humana deve ser trabalhada e valorizada acima quaisquer outras exigências educativas: Tudo isto faz com que nasça a certeza de que o projeto de Dom Bosco, hoje patrimônio não só da Igreja, mas da sociedade, brota do próprio coração de Deus.

O Observatório da Evangelização encerra aqui a partilha desta observação, mas carrega a graça do aprendizado obtido com essa gente que acredita na vida, acredita no outro, no sonho e no mundo. Isso faz aumentar nossa esperança. Só pode mesmo ser de Deus. Muito obrigada!

Professora Tânia Jordão.

 

 

Anúncios