MANiFESTO PELA DEMOCRACIA NA AMÉRICA LATINA E CARIBE

Os participantes do Curso Latino Americano para Militantes Cristãos, organizado pelo CESEEP, publicaram neste mês de maio de 2021 um manifesto em defesa da democracia na América Latina e Caribe e mais quatro notas em apoio e em solidariedade as lutas populares do povo colombiano, chileno, brasileiro e palestino. Durante o curso, os participantes, de distintas denominações cristãs e de distintos países da América Latina experienciaram reflexões de fé, de esperança e de engajamento político em defesa da democracia, dos excluídos –preferidos de Jesus – e do meio ambiente.

Pelo segundo ano o curso ocorreu de forma online devido a pandemia da covid-19

O Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) organizou, em formato online, entre 02 e 22 de maio de 2021, o Curso Latino Americano para Militantes Cristãos, que nesta edição comemorativa do centenário de nascimento do educador Paulo Freire, atendeu 41 pessoas – de várias denominações cristãs – oriundas da Argentina, do Brasil, da Colômbia, de Cuba e do Equador. Buscando refletir sobre as atuais ameaças a democracia nos vários países da América Latina, o curso propôs como tema central, a busca pela reinvenção de práticas de atuação social e política.

Para o subsídio das discussões foram organizadas dez palestras formativas, a saber: História do processo de democratização das sociedades (Pe. José Oscar Beozzo); Educação popular e cristianismo de libertação: utopias e resistências (Allan Coelho); Partilhas das práticas como elemento fundante da educação popular (Lurdinha Paschoaletto); Para além da pandemia: crises que corroem a democracia (Ladslau Dowbor); Aprendendo a viver a democracia: a experiência latino-americana (Silvio Caccia Bava); Participação cidadã para mobilização e construção de processos democráticos: Chile (Jean Calos Venegas);  Participação cidadã para mobilização e construção de processos democráticos: Argentina (Oscar Lupori); Movimentos sociais: transformando crises em projetos de vida e de sociedade: Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (Vanderlúcia Simplício); Movimentos Sociais: transformando crises em projeto de vida e sociedade: Paraisópolis (Rejane Santos); e Espiritualidade para esperançar nas lutas pela democracia (Bianca Daebs).

Coordenadoras Lourdinha Paschoaletto e Nilda de Assis e palestrante Juan C. Venegas

FONTE: CESEEP, 2021.

O Curso Latino Americano para Militantes Cristãos também possibilitou aos seus participantes, ricos momentos de intercâmbio cultural, linguístico, de saberes, de espiritualidade, de caminhada pastoral e de luta. Isso se deu sobretudo por meio das partilhas de práticas, das consolidações, das plenárias, das devolutivas e das místicas. Após cada uma das palestras os cursistas eram distribuídos em grupos de até seis pessoas ondem discutiam duas questões propostas pelo palestrante. Para cada grupo era escolhido um organizador, que mediava as discussões, e um relator, que anotava e sistematizava as ideias do grupo e as apresentava na plenária geral.

Vídeo indicativo:

Todo esse processo formativo, inspirado na educação popular libertadora de Paulo Freire e das CEBs, deu subsídio para a escrita coletiva do “Manifesto pela democracia na América Latina e Caribe” e das quatro notas em apoio e em solidariedade as lutas populares do povo colombiano, chileno, brasileiro e palestino. Os textos já estão disponíveis na íntegra, em português e em espanhol, no próprio site do CESEEP:

https://ceseep.org.br/manifesto-pela-democracia-manifiesto-por-la-democracia/

 O referido manifesto se constitui de quatro partes. Na primeira os cursistas definiram democracia “como a liberdade de um povo para tomar decisões, expressa de modo especial na vontade popular através do voto para eleger seus governantes para reger seu destino, nas atividades que o governo desempenha em seu mandato, fundamentalmente nas necessidades sociais de seus cidadãos como educação, saúde, trabalho etc.”. Na segunda parte é feita uma análise de conjuntura em que os cursistas destacam que “atualmente, na América latina, não existem democracias plenas; são de aparência, pretendem ser representativas com políticas liberais, burguesas e seletivas, cortando todo instrumento de participação popular, mediante massiva manipulação midiática e demagógica, que oculta as irregularidades de seus governantes”. Na terceira parte é apresentada a democracia quista, sendo ela “inclusivas, com a participação dos marginalizados e excluídos pelo sistema capitalista; que nasçam das experiências, processos e culturas dos nossos povos com a participação dos movimentos sociais; participativas em que nossos povos possam decidir a própria forma de vida com sua imensa e rica variedade cultural buscando o bem subjetivo e coletivo…”. E finalmente, na última parte, são destacados os compromissos para com a democracia, em favor da vida para todas as pessoas, dentre eles, “constituir lastros com a organização comunitária através da formação de grupos de trabalho, reflexão e cooperação. A partir daí, estimular a mobilização e ocupação dos espaços legítimos de organização: partidos políticos, conselhos de políticas públicas, comunidades eclesiais de base – CEBs, pastorais e movimentos sociais, cooperativas e sindicatos entre outras, de forma a contribuir na construção de uma sociedade justa, humana e igualitária”.

Já as quatro notas manifestam: o apoio a primavera democrática na Colômbia promovida pelas lutas populares e indígenas contra a reforma tributária, a militarização das ruas e a quebra do acordo de paz; o apoio a vitória da democracia no Chile a partir do novo processo constituinte que encerrará a constituição pinochetista; a solidariedade ao povo brasileiro vítima da ingerência e negligência e a resistência do governo brasileiro em combater a pandemia da covid-19; e a solidariedade ao povo palestino vítima dos ataques israelense e de sua política que violando o direito internacional e o tratado de paz, violaram a mesquita de al-Aqsa e o Ramadã.

O Curso Latino Americano para Militantes Cristãos terminou neste sábado, dia 22 de maio de 2021, após momentos de mística e avaliação, com gostinho de quero mais. As coordenadoras Nilda de Assis Cândido e Lurdinha Paschoaletto aproveitaram a ocasião para convidar os cursistas a participarem dos demais cursos do CESEEP, sendo o que próximo “Diálogo inter-religioso e saúde: conhecer e respeitar as tradições e práticas ancestrais” já está com inscrições abertas pelo site www.ceseep.org.br e ocorrerá entre 01 e 24 de julho de 2021.

Ficou interessado é quer saber mais sobre o CESEEP? Acompanhe pelas redes:

http://www.facebook.com/ceseepoficial

twitter.com/ceseep

http://www.youtube.com/channel/UCHurBUBKWfRQyY8SoIaOhWg

Glaucon Durães, jovem católico, doutorando em Ciências Sociais pela PUC Minas e colaborador jovem do Observatório da Evangelização da PUC Minas.

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s